Diferenças geracionais e vida profissional

Atualizado: Set 4



Qualquer organização que tenta ser competitiva deve encontrar um modo de engajar a mente de cada funcionário. _ Jack Welch

O mercado de trabalho abriga desde jovens estagiários e trainees que estão iniciando sua vida profissional, até pessoas com carreiras já consolidadas e prestes a se aposentar. As divergências no modo de pensar e agir ocasionadas pelo choque destas diferentes gerações, pode causar desentendimentos, conflitos, dificuldade de cooperação e prejudicar o trabalho em equipe. Por este motivo, é importante descobrir como cada geração pode contribuir em termos de capacidade, habilidades, talentos e pontos de vista, identificando o que é capaz de motivar e prender a atenção destes diferentes perfis.

Apesar de cada pessoa apresentar características únicas, é possível identificar semelhanças entre pessoas de uma mesma faixa etária, que refletem o contexto social, cultural e tecnológico a qual foram expostas, o que chamamos de características geracionais.

A maior parte dos conflitos entre gerações, tem origem nas percepções negativas que uma geração constrói a respeito da outra, logo, o entendimento destas características é fundamental para amenizar os efeitos negativos do choque de gerações.

É importante compreender, que nenhuma geração é melhor, nem pior, e cada uma pode contribuir de uma maneira, somando forças para um objetivo comum.

Uma extensa pesquisa com 900 profissionais de diferentes gerações, realizada pela Divisão Canadense do Conference Board – Instituição Global de Informações, Análises e Pesquisas para Empresas, revelou que o modo como uma geração enxerga a outra, na maioria das vezes é baseada em estereótipos e percepções negativas e não necessariamente na realidade, de modo que não reflete as diferenças reais entre elas.

Descobriu-se que apesar da diferença de valores, motivações e mentalidades, os profissionais das diferentes gerações apresentam expectativas em comum, todos querem respeito, tratamento justo e a oportunidade de fazer um trabalho interessante e recompensador.

Portanto, o grande desafio de empresas com força de trabalho multigeracional é promover o engajamento de todos em busca de um objetivo comum.

Confira as principais características e necessidades de cada geração presente no mercado de trabalho:

  • Geração Baby Boomers: Composta por pessoas nascidas após 1946, o nome Baby Boomers, se deve ao crescimento subido da população após a segunda guerra mundial. Esta é a geração que ainda está no poder, nos estados unidos por exemplo, a idade média dos CEOs é de 56 anos, por este motivo, são pessoas com muita experiência técnica, política e institucional. De modo geral, são pessoa influentes e determinadas, e por serem filhos de pessoas que sofreram a escassez da guerra, valorizam a segurança, estabilidade profissional e financeira em detrimento da realização pessoal. Desta maneira, suas vidas se confundem com o seu trabalho, o que os leva a ter dificuldade em aceitar a aposentadoria e abrir mão do poder. Costumam ser desconfiados em relação as novas gerações que são norteadas por valores diferentes dos seus, pois viveram sua juventude nos anos 60 e 70, período de grandes mudanças sociais, acreditam que ajudaram a mudar o mundo, e isto os torna autoconfiantes, e resistentes a opiniões diferentes da sua. Pessoas desta geração, tendem a apresentar a necessidade de trabalhar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional e precisam trabalhar na ampliação de sua visão sobre valores, de modo serem mais flexíveis a visão de outros profissionais das diferentes gerações;

  • Geração X: Geração nascida após os anos 60, quando os valores culturais estavam mudando, os divórcios aumentando e mulheres passando a integrar a força de trabalho. Esta tornou-se portanto, uma geração com muita autonomia, que diante de seus pais workaholics, passam a questionar o apego ao trabalho, buscando equilíbrio entre vida pessoal e profissional. São pragmáticos, eficientes, empreendedores, criativos e dinâmicos, porém desconfiados em relação a instituições, tradições e hierarquias, tendendo a passar por vários empregos, sem se fixar por muito tempo em uma única empresa, o que pode os levar a ter sua motivação comprometida ao sentirem que não estão sendo ouvidos pelos líderes. Valorizam o conhecimento e são mais propensos a cooperar, partilhar informações e lidar com tecnologia. Profissionais desta geração, tendem a precisar trabalhar de forma mais efetiva o alinhamento entre objetivos profissionais e organizacionais, melhorar sua habilidade de comunicação, equilíbrio de vida e motivação;

  • Geração Y: Nascidos a partir de 1978, constituem a faixa etária predominante em muitas empresas. Uma reportagem da Fortune, classificou esta geração como a de potencial mais elevado e alta performance. Isto porque, seus membros chegaram ao mercado com mais informação e recursos tecnológicos. Esta geração, tem expectativas mais altas do que as gerações anteriores, sendo motivada pela realização pessoal e pelo desafio constante. Rapidez, criatividade, versatilidade e domínio da tecnologia são suas principais forças, no entanto, correm o risco de perder o foco pelo excesso de comunicação via internet. É uma geração mais dependente de treinamento e desenvolvimento no ambiente do trabalho, para reduzir o risco da distração e perca de foco. Não hesitam em mudar de emprego, aos primeiros sinais de insatisfação. Os profissionais desta geração, tendem a precisar de desenvolver o foco e autonomia e desenvolvimento de plano de carreira para aumento de sua estabilidade;

  • Geração Canguru: Apresentam faixa etária aproximada aos membros da geração y, no entanto, optam por uma convivência familiar prolongada, preferindo permanecer na casa dos pais mesmo após a idade adulta. São mais bem educados e informados, mas tendem a não resistir à pressão e frustrarem-se facilmente, mudando de emprego sem muito critério por não se preocuparem muito com questões financeiras, em virtude de morarem com os pais. Profissionais desta geração, tendem a necessidade de trabalhar comprometimento e responsabilidade, identificar objetivos e propósitos e persistência em suas ações;

  • Geração Z: Nascidos a partir de 1993, apresentam um perfil consumista, acreditando terem direito de consumir o que há de melhor, mais moderno e avançado, justamente por terem vindo ao mundo no auge da era do consumo. São viciados em tecnologia, rápidos, eficientes e viciados em inovação. Podem desenvolver um comportamento individualista e ter dificuldade em aceitar críticas. Acessam uma grande quantidade de informação pela internet e pelas mídias, mas correm o risco de não parar para ler e compreender, ou seja, não estão desenvolvendo a capacidade analítica. Ao entrarem no mercado de trabalho, é importante trabalhar nestes profissionais, habilidades críticas e analíticas, relacionamentos e tolerância a críticas e frustrações.

A qual geração você pertence? Conseguiu se identificar com as características apresentadas na descrição da sua geração? Conseguiu identificar as características das pessoas que compõem o seu time de trabalho nestas diferentes gerações? Então, que tal listar as cinco ou dez pessoas mais importantes do seu circulo de convivência profissional, identificar a qual geração elas pertencem e relacionar quais são os seus pontos fortes por pertencerem a esta geração e como elas podem contribuir com o objetivo comum do departamento ou empresa em que você atual? Ao realizar esta atividade, você estará conduzindo seu pensamento a interpretar de forma positiva as diferenças e assim fazer o melhor uso delas, gerando harmonia no ambiente de trabalho. Conhecer as diferentes gerações e os valores e motivadores que as regem, também auxilia os líderes a explorarem de forma assertiva o potencial do time e a administrar conflitos de forma bem sucedida.

O processo de Team Coaching também pode ajudar nesta promoção de interação e cooperação entre times.

Em amor,


#teamcoaching #mercadodetrabalho #diferençasgeracionais #trabalhoemequipe

0 visualização

© Todos os direitos reservados à Carla Rabetti | VIDA AUTÊNTICA.